Category

Uncategorized

Projeto Oftalmologia Humanitária vai ao interior do Amazonas

By | Uncategorized

A meta desta edição é realizar 200 cirurgias, sendo 150 de catarata

Começou hoje (8) e vai até a quarta-feira (11), a nova edição do projeto Oftalmologia Humanitária, na Amazônia, resultado de parceria entre a Universidade Federal do Amazonas, o Instituto da Visão, a Fundação Piedade Cohen, a Marinha e o Exército brasileiros. O Instituto da Visão, ou Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia (Ipepo), foi fundado em 1990 por docentes do Departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo.

O projeto dá atendimento oftalmológico gratuito às populações do interior do Amazonas que não têm acesso a atendimentos clínicos e cirurgias. Liderados pelo professor Rubens Belfort Jr., presidente do Instituto da Visão, oftalmologistas da entidade e da Unifesp se unem a profissionais da Região Norte do Brasil e embarcam em navios de assistência social da Marinha, com o objetivo de realizar centenas de cirurgias oftalmológicas e milhares de atendimentos clínicos com doações de óculos pelo interior do Amazonas.

As equipes de voluntários, que incluem médicos oftalmologistas, anestesistas, clínicos gerais, residentes e estudantes de medicina, se dirigem neste domingo ao município de Urucará, situado entre Parintins, segunda cidade mais populosa do estado, com 114.273 habitantes, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019, e a capital Manaus. “A gente sempre faz essa mistura para botar os estudantes de medicina já entrosados”, destacou Belfort Jr. em entrevista hoje (8) à Agência Brasil. Desta vez, a equipe tem reforço de dois pesquisadores da Alemanha e Estados Unidos.

Meta

Belfort Jr. disse que a meta desta edição é realizar 200 cirurgias, sendo 150 de catarata, e 2 mil exames de pacientes para receber óculos. No ano passado, foram atendidos moradores dos municípios de Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã, Borba e Nova Olinda do Norte, com mais de 400 cirurgias, 2 mil atendimentos clínicos e 5 mil pares de lupas doadas. Este ano, a rota se limitará aos município de Parintins, onde serão visitadas sete comunidades, e Urucará.

O projeto Oftalmologia Humanitária foi criado na década de 1990, a partir de iniciativa do professor de medicina da Universidade Federal do Amazonas, Jacob Moysés Cohen. Desde a primeira edição do projeto, em 1991, foram feitas cerca de 12 mil cirurgias de catarata, 70 mil atendimentos e entregues mais de 20 mil óculos à população do interior amazonense.

O presidente do Instituto Visão salientou que mais de 90% dos oftalmologistas do Amazonas estão em Manaus. “Dois milhões de habitantes do interior do estado têm apenas dez oftalmologistas. As pessoas, para conseguir um óculos, andam oito horas de barco e, aí, entram na fila do Sistema Único de Saúde (SUS). É uma carência muito grande. Com frequência, a gente opera pessoas que estão cegas há muitos e muitos anos porque não tiveram oportunidade de operar catarata”.

Fonte: agenciabrasil

Prêmio Cidadão SP é entregue a quem transforma a cidade

By | Uncategorized

A homenagem é considerada o mais importante reconhecimento a quem faz a diferença na capital paulista

O Prêmio Cidadão SP, mais importante reconhecimento a quem faz a diferença na capital paulista, com repercussão em todo o país, foi celebrado hoje, no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo).
Promovido pelo ReciproCidade, o prêmio é conduzido pelo jornalista Gilberto Dimenstein, fundador da Catraca Livre. Neste ano, conta com a parceria da Tegra Incorporadora.

Foram homenageados Eduardo Saron, dirigente do Itaú Cultural (grande homenagem); Eduardo Mufarej, fundador do RenovaBR (cidadania); a professora Renata Bertazzi Levy, considerada uma das pesquisadoras mais influentes do mundo (ciência); o pianista Hercules Gomes (cultura); o idealizador do São Paulo Fashion Week, Paulo Borges (economia criativa); e o Dr. Acácio Alves, representando o Ipepo – Instituto da Visão, organização brasileira reconhecida mundialmente na área de oftalmologia (saúde).

“Nada mais justo do que a arte, a academia e a ciência darem as mãos”, disse Eduardo Saron, do Itaú Cultural, sobre os vencedores. E acrescentou: “Para a gente quase que reafirmar a importância dos valores democráticos, da filosofia e do teatro como pensamento da construção crítica. Isso é o que nos move”.

Formação

Eduardo Mufarej, do RenovaBR, também ressaltou o valor da política no processo democrático. “É importante que a gente apoie essas pessoas que estão dispostas a realizar política de modo diferente. Isso é fundamental”.

Ele recebeu a homenagem do fundador da ONG Doutores da Alegria, Wellington Nogueira, que participou da primeira turma de formação de políticos do RenovaBR. “Descobri um novo mundo”, disse Nogueira.

Exportação

O evento também reforçou o papel de brasileiros no cenário mundial. Renata Bertazzi Levy, do Nupens (Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde), da USP (Universidade de São Paulo), que foi considerada uma das pesquisadoras mais influentes do mundo, contou que estudos brasileiros têm se tornado referência, inclusive em organismos como a OMS (Organização Mundial de Saúde).

Ela faz parte do grupo que desenvolveu o NOVA, uma classificação que divide os alimentos por grau de processamento. E que se tornou ferramenta para organizações de diversos países.

Paulo Borges, do SPFW, enumerou as vezes em que a semana de moda brasileira, idealizada por ele, inovou – e saiu à frente de eventos semelhantes em outros lugares. Foi o primeiro a ter transmissão online, a ser carbono zero e a ter mais diversidades nas passarelas, com modelos trans.

“Acreditamos no papel que a moda tem para desempenhar”, disse. E adiantou que, neste ano, para a SPFW, está produzindo uma “reinvenção”.

Futuro

Os representantes do Instituto da Visão – Acácio Alves de Souza, Eric de Andrade, Milton Yogi e Paulo Henrique Morales – apresentaram as conquistas da organização: 270 mil atendimentos realizados, dos quais mais de 100 mil pelo SUS (Sistema Único de Saúde), além de doação de 5.000 óculos.

Em 2020, a meta é levar os óculos às salas de aula. Segundo eles, 8% das crianças vão mal na escola por problemas na visão.

Os convidados acompanharam três apresentações. A primeira, do pianista Salomão Soares. A segunda, do pianista Hercules Gomes, que apresentou peças dos compositores Tia Amelia e Ernesto Nazareth.

Hercules voltou ao palco para trazer uma composição sua, num dueto com a flautista Viviane Marques da Silva, da Orquestra Sinfônica Heliópolis.

Conexões

Gilberto Dimenstein, fundador da Catraca Livre, reforçou o papel das conexões em uma sociedade transformadora. “Vamos continuar a fazer pontes, disse Eduardo Saron, do Itaú Cultural, ao jornalista. “Esse prêmio é muito mais seu do que nosso”, afirmou.

Estiveram presentes também o secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Sérgio de Sá Leitão; Ana Lúcia Villela e Marcos Nisti, do Instituto Alana; a presidente do MAM, Mariana Guarini; o designer Marcelo Rosenbaum; o fundador da galeria Choque Cultural, Baixo Ribeiro; João Paulo Nogueira, do Horas da Vida; e Edilson Ventureli, da Orquestra Heliópolis.

História

O Prêmio Cidadão SP nasceu em 2012, como continuação ao Prêmio Cidadão Sustentável, que visava premiar o cidadão com a ação mais transformadora para tornar São Paulo uma cidade mais saudável e solidária.

O prêmio já homenageou expoentes como o maestro João Carlos Martins; Danilo Miranda, diretor do Sesc-SP; o jornalista Jairo Marques, da Folha de S.Paulo; e os empreendedores sociais Antonio Nóbrega, do Instituto Brincante, Marcelo Rosenbaum, do A Gente Transforma, e Roberto Kikawa, do Projeto Cies. Instituições como a plataforma de mídia e notícias Quebrando o Tabu e a agência Africa também foram contempladas.

Fonte: Catraca Livre

22º Congresso de Oftalmologia da USP

By | Uncategorized

A Eye Pharma, pelo segundo ano consecutivo, participou do Congresso de Oftalmologia da USP, realizado no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo.

Foram realizadas dezenas de aulas e palestras com participantes do Brasil e do exterior. O alto nível do evento chamou a atenção de todos os médicos e profissionais da área de oftalmologia.

A Eye Pharma também participou do Módulo de Oftalmologia Veterinária, que aconteceu no salão vermelho no primeiro dia de congresso. A aula teve a participação de dezenas de médicos veterinários – e foi um sucesso!

Um atrativo que merece destaque foi Espaço Sensorial, que é uma experiência única que nos leva a refletir sobre as dificuldades dos deficientes visuais e sobre a nossa responsabilidade em criar ambientes adequados para a parcela da população que sofre com a cegueira.

 

2º MUTIRÃO BOS DO DIABETES

By | Uncategorized

O Banco de Olhos de Sorocaba promoveu no último dia 9 de novembro, da 7h às 14h, o 2º Mutirão do Diabetes. Segundos dados do Ministério da Saúde, a doença atinge cerca de 22% dos idosos acima dos 65 anos. Já com relação aos jovens entre 18 e 24 anos, apenas 0,6% dos convivem com a doença. No Brasil, 5,6% da população declaram ter a doença – há 10 anos eram 5,2%. A diabetes afeta mais de 13 milhões de brasileiros e pode causar cegueira, retinopatia diabética sendo uma causa comum de perda de visão.

Eye Pharma marcou presença colaborando com a iniciativa que realizou, aproximadamente, 1.500 atendimentos. Foram realizados exames para identificação precoce da doença, o que é muito importante pois evita detectar a enfermidade em um estágio avançado e irreversível.

 

 

Primeira paciente recebe córnea feita de células-tronco “reprogramadas”

By | Uncategorized

Por Juliana Blume

 

Uma paciente japonesa na faixa dos 40 anos tornou-se a primeira pessoa no mundo a ter sua córnea tratada usando células-tronco.

Quem divulgou a notícia foi o oftalmologista envolvido no transplante, Kohki Nishida, da Universidade de Osaka (Japão), em uma coletiva de imprensa no último dia 29 de agosto. Ele afirmou que a paciente tem uma doença em que as células da córnea são perdidas. O problema torna a visão borrada e pode levar à cegueira.

Para tratar a paciente, Nishida diz que sua equipe criou uma camada de células-tronco a partir de células-tronco pluripotentes induzidas (iPS), ou seja, células de adultos que ganham pluripotência, uma característica de célula embrionária. Estas células podem se transformar em outros tipos de células, como células da córnea.

Nishida disse que a córnea da paciente permaneceu transparente e que a visão dela melhorou desde o transplante, que aconteceu no mês de julho de 2019.

As primeiras córneas do mundo feitas em impressoras 3D

Atualmente as pessoas com córneas danificadas são tratadas com tecido de doadores que morreram, mas há uma grande lista de espera no Japão.

O Japão tem sido pioneiro na melhoria do uso clínico de células iPS, que foram descobertas pelo pesquisador Shinya Yamanaka, da Universidade de Kyoto. Esta descoberta lhe rendeu o Prêmio Nobel da medicina em 2012.

Pesquisadores japoneses também têm usado as células iPS para tratar danos na coluna cervical, mal de Parkinson e outras doenças da visão. O Ministro da Saúde japonês deu autorização a Nishida para que ele experimentasse o procedimento em quatro pacientes. Ele está planejando o próximo transplante para o segundo semestre de 2019 e espera que o procedimento esteja disponível para todos os pacientes em até cinco anos.

 

X Congresso Nacional da SBO

By | Uncategorized

A Eye Pharma /Ophthalmos esteve presente no X Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, realizado nos dias 04,05 e 06 de julho no Maksoud Plaza em São Paulo.

O evento contou com aproximadamente 1.500 participantes e reuniu diversos profissionais da área da oftalmologia do Brasil e exterior, foram mais de 900 apresentações realizadas nos três dias de evento.

O Prof.Dr.Acácio Alves de Souza Lima Filho, realizou uma palestra na Sala Distrito Federal, sobre oftalmogeriatria, falando sobre a visão do idoso, com foco em farmacologia ocular.

A Eye Pharma recebeu em seu stand inúmeros médicos oftalmologistas, e profissionais da área, uma grande oportunidade para a troca de informações a respeito dos medicamentos para doenças oculares raras e negligenciadas.